Terrorismo

O Brutal Assassinato de Ori Ansbacher


Ori Ansbacher na floresta onde amava passear

Ori Ansbacher tinha 19 anos e estava fazendo uma formação especial no Centro Ye’elim de Jerusalém. Ye’elim em hebraico significa “gazela” e o objetivo da instituição é a formação de especialistas para trabalhar o relacionamento de crianças e adolescentes com a natureza.

Na manhã de quinta-feira, 7, Ori Ansbacher deixou o Centro Ye’elim dizendo aos amigos que iria passear na floresta onde o centro está localizado. A floresta fica em Ein Yael, ao sul de Jerusalém, uma região arborizada que fica entre o Jardim Zoológico Bíblico de Jerusalém e Walaja, uma vila palestina encravada nos territórios israelenses que se encontram sob domínio árabe. Ori não retornaria mais ao Ye’lim. No final da tarde seu corpo foi encontrado junto à floresta onde ela amava passear. Fora violentada, esfaqueada e morta.


O funeral de Ori Ansbacher

Na sexta-feira, 8, centenas de pessoas participaram do funeral de Ori, realizado no bairro judaico de Tekoa, onde a jovem morava com os pais e dois irmãos. Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, divulgou nota dizendo que sua morte tinha sido “brutal e chocante” e que as autoridades tudo fariam para prender o assassino.

“Neste momento difícil todos nós abraçamos a família Ansbacher e o povo de Tekoa. As forças de segurança estão investigando o assassinato – nós encontraremos os responsáveis e levaremos este caso à justiça”, prometeu o primeiro-ministro.


Tamma despede-se da irmã

No funeral, a irmã de Ori, Tamma Ansbacher, voltada para o caixão disse: “No último sábado você disse que custava crer que ao final do ano teria 20 anos… e agora você se foi. Você me ensinou tantas coisas… A cantar, a dançar com toda a sua luz. Você sempre fazia questão acertar as coisas, de crescer sempre. Eu te amo tanto, perdoe-me se não te disse mais vezes isso”, concluiu Tamma.

Ao seu lado, os pais e o irmão David apenas choravam.


O irmão, David Ansbacher.

Na sexta-feira, de forma rápida e surpreendente, o assassino de Ori foi localizado e preso. Chama-se Arafat Irfayia, tem 29 anos e reside na cidade de Hebron, que embora pertença a Israel está sob domínio árabe.

Irfayia foi flagrado por câmeras de segurança próximas do local do assassinato e depois tornaram a vê-lo nas imagens de uma série de ataques ocorridos na área de Ramallah / el-Bireh, também no lado árabe dos territórios israelenses. Irfayia foi filmado quando participava de atos de violência junto a dois prédios residenciais e à Mesquita Jamal Abdel-Nasser.

Irfayia, que já havia cumprido pena por entrar ilegalmente em Israel portando uma faca, foi interrogado pela polícia e pelo serviço de investigação Shin Bet e confrontado com imagens gravadas assumiu a culpa. Horas mais tarde, exames de DNA comprovaram ter sido mesmo ele o autor do bárbaro assassinato.

Ori era filha do rabino Gadi Ansbacher, que ao nascer lhe deu um nome emblemático. Ori é a variação feminina de Uri, que em hebraico significa “minha chama” ou “minha luz”. É um nome muito popular em Israel, principalmente para crianças nascidas próximo ao Hanukkah, a Festa das Luzes.

Já o pai de Irfayia deu ao filho o nome de Arafat, talvez em homenagem a um dos mais sanguinários terroristas de toda a História: Yasser Arafat.

ANDS | YNET | TOI

Faça sua doação para apoiar o Notícias de Sião
donate-jpg

Categorias:Terrorismo

1 resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s