Arqueologia

SOBRE O INCÊNDIO DO MUSEU NACIONAL DO RIO DE JANEIRO

OPINIÃO

As chamas que destruíram o Museu Nacional na noite deste domingo, 03, espalharam-se para as redes sociais com o mesmo poder destrutivo com que se alastrou no prédio do Rio de Janeiro. E da mesma forma que não havia água nos hidrantes da Quinta da Boa Vista, parece que está faltando a água da informação para apagar as chamas dos comentários sem sentido que se espalham por aí. E aproveitando a “desinformação geral que confunde a nação”, o primeiro chamuscado foi o pobre do Bolsonaro. E eu, que não sou bolsonarista, cá estou, a bem da verdade, dando uma de bombeiro.

No Facebook, um perfil chamado Verdade sem Manipulação postou um comentário dizendo que “não adianta chorar o incêndio do Museu Nacional e votar no Bolsonaro, pois ele defende a extinção do Ministério da Cultura.”

Pois vou lhes dizer algumas “verdades sem manipulações”. E para começar, vou pegar um artigo do Carta Capital, sim o CARTA CAPITAL, que é a VEJA do PT: O Carta Capital disse que foi o PT o responsável pelo corte de verbas do Museu Nacional! Ou seja, o sucateamento do Museu Nacional se deu através e durante os governos do Partido dos Trabalhadores. Está lá, no Carta Capital. Esta sim é uma “verdade sem manipulação”.

O orçamento anual para a manutenção do museu era de 500.000. Isso mesmo, QUINHENTOS MIL REAIS PARA O ANO TODO! E mesmo sendo tão pouco para uma estrutura daquela envergadura, os Governos do PT não repassava o valor integral, chegando no pior dos anos, a cair para risíveis 257 mil para o ano. PARA O ANO TODO.

E porque estou enfatizando a verba era PARA TODO O ANO?! Estou fazendo isso para vos dizer que o governo federal destinou, ATRAVÉS DO MINISTÉRIO DA CULTURA, o valor de UM MILHÃO E TREZENTOS MIL REAIS para a realização de atividades ligadas à PARADA GAY do Rio de Janeiro!

Ou seja, o orçamento de quase 5 anos inteiros para o Museu Nacional foi destinado PELO MINISTÉRIO DA CULTURA para apenas 1 mês de festas gays na cidade do Rio de Janeiro!

E aí eu pergunto: É ou não é para acabar com este Ministério?!

E para concluir, uma observação complementar: O PRÉDIO DO MUSEU era sim maravilhoso, mas O ACERVO DO MUSEU não era esse balaio todo não. Claro que esta tragédia representa uma perda irreparável, mas saibam que o foco deste museu estava mais nas Ciências Naturais e na Antropologia do que na História do Brasil, como estão dizendo por aí. Ouvi hoje numa reportagem que “a maior perda” tinha sido o desaparecimento do crânio da tal Luzia, aquela caveira de uma mulher que diziam ter vivido por aí há uns 13.000 anos, ou seja, 3 mil anos antes de Adão e Eva. O resto era pedra, osso, alguns documentos mais ou menos interessantes e umas peças egipcias de segundo nível no ranking de importância histórica.

Agora, querem ver um museu histórico importante mesmo? Em setembro de 2022 São Paulo reabrirá o Museu do Ipiranga e este sim é de uma importância imensa para a História do Brasi! E quem sabe ele venha a ser inaugurado por um presidente realmente patriota, acompanhado do seu MINISTRO DA EDUCAÇÃO e os brasileiros que lá estiverem nem se recordem que um dia existiu um tal Ministério da Cultura.

Eu, coomo estudante de Arqueologia Bíblica da Universidade Hebraica de Jerusalém, é claro que lamento a tragédia que, como eu disse acima, “representa uma perda irreparável”, mas quem lê os relatos de Flávio Josefo ou Simon Sebag Montefiori sobre a destruição do Templo de Jerusalém, sabe muito bem que aquele sim foi um incêndio deveras lastimável!

ROBERTO KEDOSHIM
Redator

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s