Breaking News

ZIAD ABU EIN

A CONSTRUÇÃO DA MENTIRA

A reportagem definitiva para entender o que aconteceu em Turmus Ayya e como morreu o agitador profissional e assassino de crianças que nem sequer ministro era.

Clique sobre as imagens para vê-las em melhor qualidade

Ziad Abu Ein soldado segura o lenço e não o pescoço
Mídia antissemita transforma contenção em esganamento.

A morte de um árabe chamado Ziad Abu Ein durante uma manifestação contra Israel na Judeia desencadeou uma avalanche de histórias mal contadas. O incidente da última quarta-feira, 10, seguiu o script de tantos outros que envolvem Israel e árabes autodenominados palestinos: mentiras, mentiras e mais mentiras.

Sem saber nenhum detalhe do ocorrido, o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, antecipou-se ao classificar a morte como “crime intolerável em todos os sentidos”, ameaçando romper alguns tênues acordos que há entre Israel e seus vizinhos.

Já no dia seguinte, 11, Israel passou a reforçar sua presença nos territórios israelenses temporariamente sob domínio palestino objetivando conter eventuais manifestações por ocasião do funeral do árabe morto.

Ziad Abu Ein tem sido apresentado pela mídia como um Ministro da Autoridade Nacional Palestina que teria sido assassinado pelos soldados do exército israelense. As causas da morte vão do estrangulamento à asfixia por gás lacrimogênio. Mas, afinal de contas o que de fato aconteceu na Judeia e quem foi Ziad Abu Ein?

ZIAD ABU EIN, ASSASSINO DE CRIANÇAS.

Ziad Abu Ein prisioneiro nos EUAZiad Abu Ein era um agitador profissional que metia-se em qualquer protesto onde houvesse um grupo de árabes de um lado e uma tropa israelense do outro. Um passeio pelas páginas de alguns sites especializados em achacar Israel revelará a presença de Abu Ein em diversas manifestações e em cada uma mais colérico que na outra.

Nascido em 1959, Abu Ein foi preso pela primeira vez na década de 70 do século passado, quando tinha apenas 18 anos. Sua primeira detenção ocorreu por pequenos delitos relacionados com a segurança, mas em 1979 Abu Ein participou do mais grave empreendimento da sua longa experiência de ódio contra os judeus.

Numa noite em que boa parte da população israelense participava de uma das mais tradicionais festas de Israel, o Lag Ba’omer, Abu Ein plantou uma bomba na cidade galileia de Tiberíades, bomba esta que acabou por matar duas crianças, Boaz Lahav de 16 anos e David Lankri de 14. Além das duas mortes, o atentado perpetrado por Abu Ein deixou ainda um rastro de terror, com 36 jovens feridos, sendo que muitos deles sofrem até hoje as consequências deste atentado.

Após a ação, Abu Ein fugiu para os Estados Unidos de onde foi extraditado dois anos depois para Israel. Julgado, foi sentenciado à prisão perpétua, mas foi solto em 1985 numa operação de chantagem, onde Israel trocou diversos terroristas por alguns israelenses sequestrados e mantidos reféns por grupos terroristas palestinos.

Boaz Lahav e David Lankri jovens assassinados por Ziad Abu Ein
Boaz Lahav e David Lankri assassinados por Abu Ein no momento em que brincavam

MINISTRO PALESTINO? DE QUE PASTA?

Ziad Abu Ein tem sido apresentado pela mídia como Ministro Palestino, cargo que nunca ocupou. Na verdade, devido a sua longa experiência nas prisões israelenses, Abu Ein foi “vice”-ministro para assunto dos prisioneiros, cargo que ocupou por 9 anos. Depois disso foi mero militante até que em setembro passado foi indicado Chefe da Comissão da OLP contra a Cerca de Proteção e Assentamentos.

E foi na condição de Chefe de Comissão que Abu Ein envolveu-se numa ferrenha discussão com as forças israelenses na localidade de Turmus Ayya, perto de Ramala, onde 300 palestinos insistiam em plantar oliveiras numa área onde há um enclave israelense.

Além de acrescentarem o título de Ministro ao currículo de Abu Ein ocultando seu passado como assassino, há outras mentiras envolvendo os episódios de Turmus Ayya.

A questão principal é que Israel está a ser acusado de assassinato, no entanto a autópsia realizada no corpo de Abu Ein, com a presença de legistas jordanianos, israelenses e palestinos, aponta para a morte por causas naturais.

Para os palestinos, Ziad Abu Ein morreu devido à inalação excessiva de gás lacrimogênio e aos golpes desferidos pelos soldados israelenses. O ministro palestino de Assuntos Civis, Hussein al-Sheikh, acusou ainda Israel de dificultar o transporte de Abu Ein, retardando seu atendimento no hospital.

No tocante a “causa mortis”, o legista israelense presente na autopsia afirma que a morte de Abu Ein foi causada por “obstrução da artéria coronária” e por uma hemorragia “que pode ter sido provocada pelo estresse”. O comunicado israelense afirma que Abu Ein sofria de problemas cardíacos e tinha 80% dos vasos de seu coração cobertos por placas de gordura e tecido fibroso. Ainda segundo a nota, a autópsia teria mostrado que o ministro tinha cicatrizes de outros infartos. “O mau estado do coração pode tê-lo tornado mais vulnerável ao estresse”, diz o comunicado divulgado pelo governo do Estado de Israel.

Ziad Abu Ein irado
Coração cheio de ódio e artérias cheias de gordura

UM HOMEM IRADO

Um vídeo disponível no site do Canal 10 israelense mostra, de forma inequívoca, que Abu Ein não sofreu os ataques que a mídia faz parecer ter sido ele alvo. As imagens mostram Abu Ein como um manifestante encolerizado, avançando contra os soldados israelenses que procuravam manter os ativistas afastados da comunidade judaica existente em Turmus Ayya.

As imagens mostram que Abu Ein não tinha os olhos de quem havia sido exposto a doses excessivas de gás lacrimogênio, em momento algum ele é golpeado na cabeça ou no peito, e quando um dos soldados toca nele, agarra, apenas com a mão esquerda, o lenço que o ativista traz ao pescoço e não o pescoço em si. É impossível esganar uma pessoa usando apenas uma das mãos, principalmente quando esta está agarrada a um adereço de tecido.

Na sequência do empurra-empurra gerado pelos manifestantes, o ativista continua a esbravejar, irado, em nada parecendo tratar-se de alguém que acabou de sofrer uma tentativa de esganiço.

Logo depois, Abu Ein começa a passar mal, leva a mão ao peito e cai. Não leva a mão à cabeça ou ao pescoço, mas ao peito, numa típica cena de ataque cardíaco.

Ziad Abu Ein morreu de ódio. E o antídoto para esta doença é um remédio que os líderes palestinos dificilmente prescreverão à sua cada vez mais enraivecida população: a verdade!

Mahamoud Abbas mostra foto de Ziad Abu Ein
Ministro Palestino na construção da mentira

FOTOS E FATOS

Veja agora algumas imagens que mostram a militância de Ziad Abu Ein, a repercussão da sua morte e momentos importantes do vídeo que registrou a ação que o levou à morte.

Ziad Abu Ein com Yasser Arafat
Com o terrorista-mor Yasser Arafat: Abu Ein nunca chegou ao posto de Ministro, mas por 9 anos usou a sua experiência como prisioneiro para ser nomeado vice-ministro.

Abu Ein em Hebron
Abu Ein protesta na cidade de Hebron numa das centenas de manifestações que participou ao longo da sua vida: ativismo profissional.

Ziad Abu Ein sofrendo infarto
Imagem da TV Russa mostra Abu Ein tendo o ataque cardíaco que o matou

Ziad Abu Ein by Tom Rayner
Jornalista Tom Rayner testemunhou primeiros socorros prestados por um soldado israelense e posteriores cuidados para que o ativista recebesse o devido atendimento médico, mas o infarto foi fulminante.

Ziad Abu Ein funeral
Liderança árabe no funeral de Abu Ein: o clímax da mentira.

O VÍDEO DO CANAL 10 ISRAELENSE

Emissora israelense Nana10 veiculou vídeo onde mostra o desenrolar dos acontecimentos que culminaram com a morte de Zia Abu Ein. Caso queira assistir o vídeo todo, em hebraico, vá ao site da emissora clicando AQUI. Nas fotos abaixo destacamos alguns momentos importantes do vídeo. Passando o mouse sobre a imagem pode-se ver a descrição dos minutos e segundos em que a imagem aparece no vídeo.

Na primeira sequência de três imagens vê-se que a mão do soldado não teve por alvo o pescoço do ativista, mas sim o lenço que o mesmo carregava pendente ao peito.

Ziad Abu Ein Vídeo 09m20s

Ziad Abu Ein Vídeo 09m22s

Ziad Abu Ein Vídeo 09m23s

As duas próximas imagens mostram que o ativista não esteve exposto a uma overdose de gás lacrimogênio.

Ziad Abu Ein Vídeo 09m30s

Ziad Abu Ein Vídeo 09m38s

As imagens mostram agora o momento de destempero emocional do ativista que elevou seus batimentos cardíacos a níveis mortais.

Ziad Abu Ein Vídeo 09m43s

Ziad Abu Ein Vídeo 09m44s

Ziad Abu Ein Vídeo 09m47s

Por fim, Ziad Abu Ein sucumbe diante de um infarto fulminante…

Ziad Abu Ein Vídeo 09m48s

Ziad Abu Ein Vídeo 09m48ss

… sendo que um soldado israelense é o primeiro a socorrê-lo.

Ziad Abu Ein Vídeo 09m54s

NOTA: Com informações das Agências de Notícias, da TV israelense Nana10, da organização de vigilância da mídia BBC Watch e de postagens no microblog Twitter.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s