Defesa

ISRAEL FAZ A SUA PARTE

JÁ OS PALESTINOS…

Casa destruída em Ashdod e casa atingida em Shaar Hanegev

Benjamin Netanyahu anunciou na manhã de hoje que Israel suspenderia fogo durante durante três horas para que o primeiro-ministro egípcio Hisham Qandil pudesse visitar a Faixa de Gaza. Mesmo sabendo que o atual governo egípcio é solidário aos terroristas que sistematicamente atacam seu país, Netanyahu assumiu o compromisso de suspender os contra-ataques esperando, quem sabe, que Qandil pudesse de alguma forma contribuir para um acordo de cessar-fogo neste terceiro de dia de conflito.

Israel cumpriu sua parte. Infelizmente não se pode dizer o mesmo dos árabes, que continuaram a lançar foguetes contra o território israelense. Até aí, nenhuma novidade. Como novidade não foi a cobertura da mídia que, com raras exceções publicitou manchetes dúbias sobre a “violação da trégua”. Na Europa, o canal a cabo Euronews, financiado com capital árabe – como aliás boa parte de tudo o que acontece no Velho Continente – abriu manchete dizendo que “Nem a visita histórica do PM egípcio trava a violência em Gaza”. Assim posto, dá a ideia de que a quebra do cessar fogo não foi unilateral, como assegura o governo israelense.

GAZA SOB FOGO E REGIÃO DE TEL AVIV SOB TENSÃO E CHUVA DE FOGUETES

O Exército de Israel bombardeou nesta madrugada diversos alvos estratégicos em Gaza. Segundo o porta-voz das FDI (Forças de Defesa de Israel), um dos edifícios do Ministério do Interior do Hamas foi atingido, o que significa que esta era uma das bases de lançamento dos foguetes.

O sinal de que Israel prepara-se talvez para uma invasão de Gaza foi o fato do Governo ter convocado cerca de 30 mil dos mais qualificados reservistas. As atuais represálias têm sido feitas através de “raides” aéreos que contabilizavam até a manhã de hoje o significativo número de 466 missões de sobrevoo e bombardeio. Para clarificar o caráter “cirúrgico” destas missões, mesmo com este volume de ataques, que seriam suficientes para uma verdadeira carnificina, foram confirmados 19 mortos e 150 feridos entre os árabes auto-denominados palestinos. As informações são do próprio Hamas, o que significa que o número real poderá ser bem menor.

Zona de possível alcance dos foguetes palestinos

Ismael Haniyeh, primeiro-ministro do Hamas, vociferou que “irá responder a todos os ataques de Israel” acusando o Tsahal (Exército Israelense) de ter iniciado “os atos de violência” ao matar na quarta-feira, o chefe militar do movimento islâmico. Esquece-se o “ilustre” representante árabe que Israel está há meses sob ataque palestino e só agora resolveu agir de forma dura, pois viu crescer o raio de alcance dos mísseis lançados à partir de Gaza.

Termino destacando dois detalhes que não devem passar despercebidos para leitores do Blog Notícias de Sião. Primeiro, a matéria prima para os artesanais foguetes chegam à Faixa de Gaza sob o singelo nome de “ajuda humanitária“. São tubos metálicos, supostamente destinados à construção civil e montagens de play-grounds, que acabam por se tornar arma de destruição nas mãos dos terroristas. Segundo, a tragédia seria bem maior se Israel não dispusesse do sofisticado sistema de defesa Iron Dome.

2 respostas »

    • Shalom, Rose. Tenho postado os links no meu Facebook. Quanto ao Twitter, confesso que tenho que preciso trabalhar mais as potencialidades deste recurso. Para acessos, Facebook e Twitter têm os mesmos nomes de usuário: » robertokedoshim «

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s