Defesa

ISRAEL SOB ATAQUE. FINAL DE SEMANA TENSO NA TERRA SANTA.

O final de semana foi tenso no sul de Israel. E a manhã desta segunda-feira não começou de forma diferente. No sábado e no domingo, dezenas de foguetes foram lançados contra as comunidades situadas no Neguev; e foi neste mesmo clima que os israelenses retomaram as atividades no dia de hoje.

Lançamento de Míssil Tamir no sul de Israel

PALESTINOS ATACAM, ISRAEL SE DEFENDE E MANTÉM AJUDA.

No início da manhã desta segunda-feira, mais de uma dúzia de foguetes foram disparados, da Faixa de Gaza, sobre o território israelense. Em resposta, jatos da Força Aérea de Israel atingiram bases de lançamento durante toda a noite e na manhã de hoje.

No domingo, por diversas vezes, ouviu-se as sirenes do Tzeva Adom (Cor Vermelha), um sistema de alerta cujo objetivo é informar à população que um foguete está indo em sua direção.

O “ritual” do Tzeva Adom está tão presente na vidas dos habitantes das cidades fronteiriças à Faixa de Gaza quanto a visita à sinagoga. Mas, enquanto o serviço do Shabat tem hora e dia marcado, o Tzeva Adom pode soar a qualquer momento.

A mecânica do alerta é simples e desgastante. Assim que um foguete é lançado pelos terroristas a sirene toca. À partir de então, os israelenses têm 5 minutos para correrem para o abrigo anti-bombas que há em praticamente todas as casas.

Não há escolha. A mesa do almoço fica posta e as pessoas correm. O banho é interrompido e, enroladas em toalhas, as pessoas correm. A troca de fraldas é interrompida e a mãe, com seu bebê, corre. No meio da noite o descando é interrompido e as pessoas, cambaleando de sono, correm.

Depois, é aguardar o barulho da explosão e sair para ver se o foguete caiu longe, perto ou na própria casa. E desde o último final de semana há mais uma alternativa: Ver se o foguete foi interceptado por um míssil Tamir, do sistema de defesa Iron Dome.

Com ajuda de muita tecnologia, elevados custos e imensos desgastes emocionais, Sderot e Ashkelon terminaram o domingo sem nenhum ferido ou grandes danos.

Nas primeiras horas da manhã de hoje, pelo menos cinco foguetes foram disparados contra Beersheba sendo imediatamente interceptados pelos mísseis Tamir. Simultaneamente, dois foguetes eram lançados contra Ashdod, também neutralizados pelo sistema de defesa Iron Dome.

Ainda durante a noite, sete foguetes foram disparados contra as comunidades do município de Eshkol, perto de Bnei Shimon, no noroeste do Neguev, caindo em áreas abertas e sem registrar vítimas. Entretanto, um dos foguetes atingiu um edifício onde funciona um jardim de infância, causando apenas danos materiais. Como era noite, não havia crianças na escola. Se houvesse, estas teriam corrido para os abrigos anti-bombas e também não teriam sofrido nenhum dano. A não ser o imensurável dano psicológico.

Dois outros foguetes cairam próximos à cidade bíblica de Laquis (Josué 10.3 e 10.5 e Josué 12.11) sem causar vítimas ou danos.

Além dos alvos civis, os ataques deste final de semana destruíram dois caminhões que transportavam alimentos para a Faixa de Gaza. Para isso, os terroristas usaram três morteiros, que ao contrário foguetes Qassam não são lançados aleatoriamente, direcionados para um comboio de caminhões estacionados.

O ataque aos caminhões mostra a diferença marcante entre israelenses e palestinos (sic). Mesmo sob intenso bombardeio, Israel continua a enviar alimentos para os seus inimigos. Em contrapartida, estes mesmos inimigos atacam os caminhões israelenses usados para levar-lhes suprimentos. Em resposta, a passagem de Kerem Shalom, por onde entram os caminhões, foi temporariamente fechada.

Categorias:Defesa, Notícias, Terrorismo

6 respostas »

  1. Noticia da Folha de São Paulo: 12/03/2012

    O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse nesta segunda-feira que estava extremamente preocupado com a violência entre Israel e os palestinos na faixa de Gaza.

    “Estou seriamente preocupado com a última escalada (de violência) entre Gaza e Israel e mais uma vez civis estão pagando um preço terrível”, Ban disse ao Conselho de Segurança da ONU.

    Ele afirmou que ataques com foguetes contra civis israelenses eram “inaceitáveis” e exigiu que Israel “exerça a máxima contenção”.

    Não sei muito bem o que significa “exercer a máxima contenção” mas eu acho que deve ser que Israel deve conter seus misseis e lança-lo no ultimo caso.

    A ONU preocupando-se com Israel é caso raro.

    Shalom!

    Curtir

  2. Pingback: We Did Our Jobs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s